domingo, 16 de agosto de 2009

MEMORIAL AO QUEIJO SUIÇO

Tal foi a quantidade de furos, ocorridos no passeio de hoje.Concentração no local do costume, 8.30h, compareceram 8 preguissas, Eu, Posta, King, Maike, Rui, João Quelhas, Quelhas mais novo e o Mekanico.

Acordado fazer estrada até Vila do Conde, com início por monte até à Trofa, trilho radical com descidas acentuadas, saltos vários e muita pedra. O primeiro furo calhou-me a mim, já na parte final da descida a grande velocidade uma traçadela na aterragem de um salto.
Feita a troca da câmara, prosseguimos a descida, quando 100 metros à frente um furo duplo, isto é, o King e o Mekanico furaram ao mesmo tempo e no mesmo sítio, mais duas câmaras traçadas.
Feita a reparação e já com o stock de câmaras em baixo seguimos viagem até à Bomba da Trofa para atestar os pneus.
Apanhámos a estrada para Vilarinho e começámos a acelerar quando o King berrou de novo, "FUREI", desta vez não estávamos com disposição para nova troca e dispensei a minha espuma para resolver o problema. De novo em andamento, e em ritmo puxado seguimos até Vilarinho, local de espera pelos mais atrasados e local de lanche utilizado quando vamos para estes lados.
Este local permite a escolha de várias rotas alternativas, mais curtas e com subidas ou mais kms com menos subidas, normalmente escolhemos a kilometragem maior, seguimos então até Vila do Conde, onde assistimos a uma prova de canoagem no rio Ave, deve ser mais dificil andar de canoa que de bicicleta, quando caem à água nunca mais se levantam, estes desgraçados que caíram se não morreram intoxicados na água apanharam alguma doença na pele.
Regresso a casa feito novamente em ritmo acelerado, demais para alguns, nesta estrada como andam muitos ciclistas o ritmo normalmente é elevado, ou para apanhar algum grupo ou para acompanhar, ainda parámos em Mindelo para comprar um melão sábiamente escolhido pelo Posta, já em pleno banquete passaram os atrasados, e não quiseram parar para saborear o melão/abóbora, cinco esfomeados ainda demoraram quaze dez minutos para conseguir comer meio deste belo melão.
Outra vez montados, seguimos agora para apanhar os mais adiantados, feitas as rampas e vencidas as dificuldades conseguimos apanhá-los no Castêlo da Maia, por sinal à porta de minha casa, feitas as despedidas, a eles ainda faltavam oito kms para mim foi um banho e uma cerveja fresquinha.
Agora é preciso começar a treinar para o próximo passeio, a 5 de Setembro no Gerês, acho que é muito duro e o mínimo são 90 kms, vai ser uma desgraça...

5 comentários:

  1. Podemos é fazer esta volta ou outra, mas sempre naquele ritimo 3 vezes por semana e acho que já não vai custar tanto o Gerês... podemos ir já amanhã

    ResponderEliminar
  2. Boas:

    Em relação á volta de ontem pronto foi uma volta com alguns precalços, mas são coisas que acontecem a todos, fora isso até que foi uma volta engraçada e até um pouco brava, mas para chegarmos ao gerês no minímo das condições físicas exigidas temos de fazer sacrificios.

    Em relação ao dito melão dá-me impressão que todos que estavam na caixa não eram de qualidade só me limitei a escolher o que estava mais maduro rsrsrsrsrsrr

    Força nas pernas seus preguissas

    ResponderEliminar
  3. Boas...

    De facto, foi um fartote de furos, o que atrasou um pouco a programação inicial!
    Gosto de ir a lugares como a Povoa ou Vila do Conde, mas não me convidem para andar em estrada e em velocidade.

    Sou rapaz para andar em ritmos certos, mas não muito elevados, por isso, em estrada sempre que a velocidade aumenta, fico para trás!

    Domingo á hora do costume!

    ResponderEliminar
  4. Pessoal este domingo não contem comigo, vou para estagio uma semana


    Abraço,

    Boas Pedaladas

    ResponderEliminar

Endereço IP (Para os que não sabem onde estão)